Ciro ataca repórter durante comício em Boa Vista

Ciro Gomes chega na Academia Brasileira de Ciências, no centro do Rio de Janeiro
Ciro Gomes chega na Academia Brasileira de Ciências, no centro do Rio de Janeiro
Foto: Sergio Moraes / Reuters

Ciro ataca repórter durante comício em Boa Vista

Candidato do PDT acusou jornalista de estar a serviço de Jucá

candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, atacou um repórter durante comício em Boa Vista, capital Roraima, no último sábado (15).

Continuar lendo Ciro ataca repórter durante comício em Boa Vista

Grupo “Mulheres Unidas contra Bolsonaro” sofre ataque no Facebook

FRP_Bolsonaro_Foto_Fabio_Rodrigues_Pozzebom00321062016-850x566.jpg

Grupo rapidamente atingiu mais de 1 milhão de participantes. Administradoras foram ameaçadas e página está fora do ar

Grupo “Mulheres Unidas contra Bolsonaro” sofreu ataque no Facebook e administradoras foram ameaçadas

O grupo “Mulheres Unidas contra Bolsonaro” no Facebook sofreu ataques de hackers neste fim de semana. Mais de 1 milhão de mulheres fazem parte da iniciativa, além de outros milhares de convites a serem analisados.

O “Mulheres Unidas contra Bolsonaro” cresceu rapidamente e ganhou repercussão nas redes sociais como espaço para se opor à candidatura do deputado Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência.

Neste domingo 16, a página está fora do ar. Segundo o jornal El País, o Facebook removeu temporariamente o grupo após detectar atividade suspeita. A empresa está trabalhando para “restaurar o grupo às administradoras”.

Leia também:
Por que há mulheres que votam em Bolsonaro?
Exército de mulheres armadas de ideais até os dentes reage a Bolsonaro

Administradoras do grupo afirmaram ao site Catraca Livre que o perfil de uma delas na rede social foi invadido na quinta-feira 13 e seus dados pessoais foram expostos. Outra administradora disse ter sido ameaçada via WhatsApp para que encerrasse o “Mulheres Unidas contra Bolsonaro”, recebendo inclusive uma mensagem com seus dados.

Com o perfil da administradora hackeado, mensagens ofensivas foram postadas no grupo. Além disso, a imagem do grupo foi alterada por usuários identificados como Eduardo Shinok e ‘Felipe Shinok, segundo o El País.

O nome do grupo chegou a ser alterado para “Mulheres COM Bolsonaro”.

Pesquisa Datafolha divulgada na segunda-feira 10 mostra que a rejeição de Bolsonaro entre as mulheres atinge 49%. O eleitorado brasileiro é composto por 53% de mulheres.

Continuar lendo Grupo “Mulheres Unidas contra Bolsonaro” sofre ataque no Facebook