Ansiedade da matemática: seu filho tem medo dos números?

Ciência revela as causas da ansiedade da matemática (Foto: Pexels)

Ansiedade da matemática: seu filho tem medo dos números?

Você, na idade dele, também tinha? Pesquisadores britânicos resolveram investigar o que leva uma criança a ter tanto medo das contas, equações e números

Pode perguntar para qualquer criança. Dia de prova de história não se compara à semana em que é aplicado um teste de matemática. É quase um medo coletivo, um temor geral. Prova disso é um estudo publicado em 2018, que mostra que mais de três quartos (77%) das crianças, mesmo as que têm muita habilidade com os números, sentem essa ansiedade em relação à disciplina.

Pesquisadores britânicos resolveram investigar os fatores que influenciam a ansiedade entre alunos de escolas primárias e secundárias. O relatório, publicado pelo Centro de Neurociência em Educação da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, foi financiado pela Fundação Nuffield, com apoio adicional da James McDonnell Foundation. “Enquanto a ansiedade de matemática de cada criança pode ser diferente, com origens e fatores desencadeantes únicos, encontramos vários problemas comuns entre os alunos das escolas primárias e secundárias que entrevistamos”, explica Denes Szucs, do Departamento de Psicologia e principal autor do estudo.

Em uma amostra de 1.000 estudantes italianos, os pesquisadores descobriram que as meninas na escola primária e secundária tinham níveis mais altos de ansiedade de matemática e ansiedade geral. Já investigações mais detalhadas em 1.700 estudantes do Reino Unido mostraram que o sentimento geral de que a matemática era mais difícil do que outros assuntos freqüentemente contribuiu para a ansiedade da matemática, levando a uma falta ou perda de confiança.

Entre as principais razões para se sentirem ansiosos, os estudantes citaram as notas baixas ou resultados de testes e comparações negativas com colegas ou irmãos. Crianças em idade primária referiram-se a casos em que foram confundidas por diferentes métodos de ensino, enquanto os alunos secundários comentaram sobre relações interpessoais ruins. O relatório mostra também que isso cria um círculo vicioso, já que leva a um desempenho mais fraco, aumentando ainda mais a ansiedade da matemática. Portanto, a longo prazo, o estudante tende a se sair pior do que ele realmente é capaz.

Dicas para pais e professores

O relatório não se limita às causas e inclui diversas recomendações, como a necessidade de os professores estarem conscientes de que essa ansiedade afeta o desempenho em matemática. “Professores, pais, irmãos, irmãs e colegas de classe podem desempenhar um papel para deixar a criança mais ou menos ansiosa”, acrescenta o co-autor Ros McLellan, da Faculdade de Educação. “Enfrentar sua própria ansiedades pode ser o primeiro passo para ajudar seus filhos ou alunos”, orienta.

“Nossas descobertas devem ser uma preocupação real para os educadores. Devemos lidar com o problema para permitir que esses jovens parem de se sentir ansiosos em aprender matemática e dar a eles a oportunidade de florescer”, diz o autor do estudo. “Se pudermos melhorar a experiência de um aluno, poderemos ajudar a diminuir a ansiedade de matemática e isso poderá melhorar seu desempenho geral”, completa.

“A realização matemática é valiosa por si só, como uma base para muitos outros assuntos e como um importante preditor de resultados acadêmicos futuros, oportunidades de emprego e até de saúde. A ansiedade matemática pode perturbar severamente o desempenho dos alunos. Mas, importante – e surpreendentemente – esta nova pesquisa sugere que a maioria dos alunos que sofrem com a questão têm capacidade normal para compreender bem a matemática. Esperamos que as recomendações do relatório ajudem a criar maneiras de fazer intervenções e abordagens escolares e domiciliares para evitar que a ansiedade matemática se desenvolva em primeiro lugar”, diz Josh Hillman, diretor de educação da Nuffield Foundation.

saiba mais

Valdivino Sousa é Professor,  Matemático, Pedagogo, Contador, Bacharel em Direito, Mestrado em Ciências da Educação Matemática e Escritor. Criador do método X Y Z que facilita na aprendizagem de equação e expressão algébrica com objetos ilustrativos. Docente nos cursos de Matemática, Ciências Contábeis, Administração e Engenharia. Autor de mais de 15  livros e têm vários artigos publicados em revistas e jornais especializados.  Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Equações Diferenciais Parciais, Matemática Computacional e Engenharia Didática, atuando principalmente nos seguintes temas: métodos numéricos, equações diferenciais, modelagem, simulações e  didática no ensino de Matemática.
Além da Matemática atua há mais de 20 anos em Contabilidade e desde 2005 é Contador responsável da Alves Contabilidade.

Outras atividades: Programador Web, Estrategista de Conteúdo e mídias digitais, Blogueiro Mtb 60.448. Semanalmente escreve para o portal D.Dez, Jornal da Cidade e Folha Online. Sobre: Comportamento, Educação Matemática e Desenvolvimento da Aprendizagem.

Site oficial de Valdivino Sousa
Twitter oficial de Valdivino Sousa
Facebook de Valdivino Sousa
Instagram de Valdivino Sousa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s