Atitudes opõem Bolsonaro a evangélicos; líderes não o consideram membro

Jair Bolsonaro é batizado nas águas do rio Jordão, em Israel - Reprodução

Atitudes opõem Bolsonaro a evangélicos; líderes não o consideram membro

No último dia 26, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deixou o Palácio do Alvorada, em comitiva oficial, para apostar na Mega-Sena da Virada. Porém, a foto do presidente sorrindo, na casa lotérica, repercutiu negativamente entre evangélicos mais conservadores – a Igreja não vê com bons olhos a mega-sena, por ser considerada um “jogo de azar”. Este foi mais um ato de Bolsonaro que contraria dogmas protestantes. Ele já se divorciou duas vezes, fala palavrões constantemente e apoia a política armamentista, criticada por muitos evangélicos.
O slogan de sua campanha eleitoral também foi adotado pelo Grande Oriente do Brasil no Rio de Janeiro, uma das principais instituições.

Continuar lendo Atitudes opõem Bolsonaro a evangélicos; líderes não o consideram membro

Bolsonaro sugere compensar alta do petróleo com redução de ICMS

Bolsonaro deixa Palácio da Alvorada, em Brasília, para cumprir agenda oficial - ADRIANO MACHADO

Bolsonaro sugere compensar alta do petróleo com redução de ICMS

Uma alta mais acentuada no preço do petróleo poderia ser compensada no mercado doméstico por reduções na alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), sugeriu o presidente Jair Bolsonaro. Nesta sexta, 3, em decorrência das tensões entre Estados Unidos e Irã, o petróleo Brent subiu 3,55% e o barril fechou o dia cotado a US$ 68,60.

Michelle Bolsonaro tem alta de hospital e retorna ao Alvorada

A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, participa da solenidade de Assinatura da MP da Pensão Vitalícia das Vítimas de Microcefalia do Zika Vírus.

Michelle Bolsonaro tem alta de hospital e retorna ao Alvorada

A primeira-dama Michelle Bolsonaro recebeu alta na manhã deste sábado (4) do hospital em Brasília em que estava internada após a realização, na última quinta-feira (2), de cirurgias estéticas. Ela retornou ao Palácio da Alvorada por volta das 11h30.

Segundo boletim médico divulgado pelo hospital DF Star e assinado pelo cirurgião plástico Régis de Souza Ramos Júnior, após os procedimentos a primeira-dama apresentou “ótima evolução clínica”.

Ontem (3), ao falar com jornalistas no saguão do hospital, o médico disse que Michelle estava “caminhando, comendo de tudo e muito animada”.

Michelle passou por três procedimentos estéticos, sendo dois na região do abdome e uma troca das próteses de silicone nos seios.

Na barriga, foram feitas correções de diástase (afastamento do músculo abdominal) e de uma hérnia umbilical, ocorrência comum em mulheres que passaram por gestações. Já a troca do silicone se deu porque as próteses tinham mais de 10 anos e geravam desconforto na primeira-dama.

Leia mais em: http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2020-01/michelle-bolsonaro-tem-alta-de-hospital-e-retorna-ao-alvorada

 

Bolsonaro edita MP que muda funções e cria 516 cargos na PF

Myke Sena/Esp. Metropoles

Bolsonaro edita MP que muda funções e cria 516 cargos na PF

MP 918 também transforma cargos comissionados em funções de confiança, gerando mais postos de liderança na corporação

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) editou, nessa sexta-feira (03/01/2020), uma medida provisória que reestrutura os cargos de chefia na Polícia Federal. A MP 918 transforma cargos comissionados em funções de confiança, gerando mais postos de liderança na corporação, além de estabelecer a criação de mais de 450 funções gratificadas. No total, serão 516 novos postos.

Segundo Edvandir Felix de Paiva, presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal, a reorganização se dá em moldes semelhantes à que foi feita em outubro de 2019 na administração da Polícia Rodoviária Federal

Além de Bolsonaro, assinam a MP o ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) e o secretário-executivo do Ministério da Economia, Marcelo Pacheco dos Guaranys. O texto terá validade a partir da publicação de decreto de alteração da Estrutura Regimental do Ministério da Justiça e Segurança Pública. A Polícia Federal é atrelada à pasta.

Leia mais em: https://www.metropoles.com/brasil/politica-br/bolsonaro-edita-mp-que-reorganiza-cargos-de-chefia-na-pf

“Diálogos cabulosos”: Moro volta das férias com piada sobre “mago Merlin” e indireta ao PT

“Diálogos cabulosos”: Moro volta das férias com piada sobre “mago Merlin” e indireta ao PT

Crimes caíram em todo o país em percentuais sem precedentes históricos em 2019. Leio de alguns “especialistas” em segurança pública que o Gov Federal não tem nada a ver com isso. Dos mesmos que compunham ou assessoravam os Governos anteriores quando os crimes só cresciam. https://twitter.com/onyxlorenzoni/status/1212852383925129217 

Onyx Lorenzoni 🇧🇷

@onyxlorenzoni

Sem arrego. 🇧🇷💪 @jairbolsonaro @SF_Moro

Sergio Moro

@SF_Moro

Se quiserem atribuir a queda ao Mago Merlin, não tem problema. Os criminosos, sem diálogos cabulosos, sabem porque os crimes caem. Trabalhamos para melhorar a vida das pessoas e o que importa é que os crimes continuem caindo.

Em Bagdá, milhares se despedem de general iraniano gritando “morte à América”

Funeral do general iraniamo Qasem Soleimani, que começou neste sábado em Bagdá.

Em Bagdá, milhares se despedem de general iraniano gritando “morte à América”

Funeral do poderoso militar morto em um ataque de drone dos Estados Unidos é iniciado no momento em que Irã ameaça uma resposta dura. Corpo chegará ao país no domingo

Milhares de pessoas se reuniram desde as primeiras horas da manhã em Bagdá para dar o último adeus ao general iraniano Qasem Soleimani —arquiteto das intervenções iranianas em todo o Oriente Médio—; ao comandante da milícia paramilitar xiita iraquiana Forças de Mobilização Popular (FMP), Abu Mahdi al Muhandis, e outros oito militares de ambos os países assassinados na sexta-feira por um drone dos EUA no aeroporto da capital do Iraque. No funeral, caminhando com a multidão, estava o primeiro-ministro iraquiano, Adel Abdul-Mahdi, que qualificou de “mártires” os mortos do ataque ordenado por Donald Trump e classificado como “violação da soberania iraquiana”. Também participaram o ex-chefe do Governo do Iraque, Nouri al-Maliki, bem como o presidente das FMP, Faleh al-Fayad, e Hadi al-Amiri, líder da Organização Bader, um dos grupos mais poderosos dessa coalizão de milícias

Conflito no Irã ameaça desencadear guerra por controle do Oriente Médio

Quem foi Qasem Soleimani, general iraniano contra o Estado Islâmico

O início do funeral aconteceu enquanto a região prende a respiração à espera de uma resposta iraniana ao ataque, após o Exército reiterar que prevê uma “dura vingança”.

Leia mais em: https://brasil.elpais.com/internacional/2020-01-04/em-bagda-milhares-despedem-de-general-iraniano-gritando-morte-a-america.html

Qasem Soleimani: o que o Irã levará em conta em reação à morte de general

Simpatizantes do Hezbollah seguram cartaz em homenagem a Soleimani, que ajudou a financiar milícias que agora podem alvejar americanos — Foto: AFP

Qasem Soleimani: o que o Irã levará em conta em reação à morte de general

Iranianos têm poderio militar inferior ao americano, mas contam com milícias armadas em diferentes países do Oriente Médio.

O assassinato do general Qasem Soleimani coloca os Estados Unidos e o Irã diante das tensões mais elevadas desde a crise de reféns na embaixada americana em Teerã em 1979.

A decisão do presidente Donald Trump de matar Soleimani tira de cena um dos mais obstinados e eficientes inimigos dos EUA, além de configurar um golpe ao âmago da República Islâmica. Também é uma perigosa escalada em uma região que já estava volátil e violenta.

O ataque de quinta-feira (2/1) contra Soleimani desperta temores de uma guerra ampla. Isso não é uma certeza no momento. Nem americanos nem iranianos querem um conflito do tipo. Mas a crise atual amplifica as chances de que algum erro de cálculo acabe desencadeando mais derramamento de sangue.

O Irã prometeu vingança contra os EUA, e essa ameaça deve ser levada a sério. Soleimani era o segundo homem mais poderoso do país e um talismã para os líderes linha-dura do Irã. Eles vão querer acertar as contas, e talvez ir além.

Leia mais em: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2020/01/04/qasem-soleimani-o-que-o-ira-levara-em-conta-em-reacao-a-morte-de-general.ghtml