Silas Malafaia diz que não vai fechar igreja por causa do coronavírus

O pastor Silas Malafaia propõe combate ao coronavírus com oração - Mauro Pimentel/AFP

Silas Malafaia diz que não vai fechar igreja por causa do coronavírus

Em seu perfil no Twitter, Silas Malafaia publicou, hoje à tarde, um vídeo para encorajar as pessoas para ir à igreja. E questionou as recomendações de prevenção por causa dos casos do novo coronavírus no país. Durante 15 minutos, o pastor inclusive faz o público repetir uma oração, pedindo a Deus que o vírus não se espalhe pelo Brasil. “Repita essa oração comigo: ‘Que esse vírus seja destruído da nossa nação pelo poder do nome de Jesus. Nós te pedimos que esse vírus não consiga fazer desgraça no nosso país'”

Globo tira do ar quatro programas: Mais Você, Encontro, Globo Esporte e Se Joga

globotira

Globo tira do ar quatro programas: Mais Você, Encontro, Globo Esporte e Se Joga, com a chegada da CNN Brasil, e do Coronavírus, Globo amplia cobertura do coronavírus, e irá focar mais em jornalismo.

A Globo decidiu tirar do ar os programas Encontro com Fátima, Globo Esporte, Mais você e Se Joga para priorizar a cobertura da pandemia do novo coronavírus no Brasil.

No site oficial da emissora,  três atrações não aparecem na grade de programação desta terça-feira (17). No lugar do Encontro, a Globo irá exibir o programa Combate ao Coronavírus.

Já o Jornal Hoje ocupará a faixa destinada ao Se Joga. Questionada, a Globo não respondeu até a conclusão deste texto se as mudanças valem para o resto da semana.

Fonte: https://www.otempo.com.br/diversao/televisao/por-coronavirus-globo-tira-do-ar-encontro-com-fatima-globo-esporte-e-se-joga-1.2311695

Por coronavírus, Zico recomenda oração de 20 segundos enquanto lava as mãos

Zico publicou foto com máscara para falar do covid-19 no Japão - reprodução / Instagram

Por coronavírus, Zico recomenda oração de 20 segundos enquanto lava as mãos

Ex-camisa 10 da seleção e do Flamengo, Zico usou as redes sociais para compartilhar algumas ações no combate ao coronavírus. Em uma delas, que consiste lavar as mãos por 20 segundos, recomendou: “Reze o Pai Nosso enquanto lava as mãos”
“A oração dura de 20 a 30 segundos, tempo recomendado para a higienização”, publicou o ídolo na tarde de hoje em sua página do Facebook.

Amor de Mãe sai do ar após ‘fim de temporada’, e Globo fica sem novela das 9

As atrizes Isabel Teixeira, Adriana Esteves e Regina Casé em cena de Amor de Mãe em hospital cenográfico

Amor de Mãe sai do ar após ‘fim de temporada’, e Globo fica sem novela das 9

É grave a crise. Pela primeira vez em mais de 50 anos, o Brasil vai ficar sem uma de suas principais “instituições”: a novela das nove. Sem novos capítulos de Amor de Mãe, com gravações interrompidas nesta segunda-feira (16), a Gl…

Edir Macedo diz que coronavírus é do Satanás e mídia promovem medo

O bispo Edir Macedo

Edir Macedo diz que coronavírus é do Satanás e mídia promovem medo. Se bem que a Globo neste domingo  (15) por audiência fez um terrorismo com o coronavírus. A emissora iniciou desde das 15:00 hs na Globo News e as 18:00 hs com o Faustão, após isso emendou o Fantástico falando só de CORONAVÍRUS.

Vídeo mostra Edir Macedo dizendo que coronavírus é inofensivo e que Satanás e mídia promovem medo

Imagem mostra pastor apresentando fala de médico que afirma que a doença não mata ninguém

Leia mais em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/monicabergamo/2020/03/video-mostra-edir-macedo-dizendo-que-coronavirus-e-inofensivo-e-que-satanas-e-midia-promovem-medo.shtml

 

CNN Brasil estreia mal, com erros e audiência baixa

CNN Brasil estreia mal, com erros e audiência baixa, em meios as críticas a CNN que é vista como uma emissora política mantida pela direita. O presidente Jair Bolsonaro fez questão de dar boas vindas a sua estreia, e concedeu entrevista. Porém a Globo News e Band news deu um shou de jornalismo profissional contra a CNN. Um dos erros da CNN Brasil estava no microfone, Brasil escrito com “RASIL”.

No dia da estreia da CNN Brasil, que dedicou boa parte de sua primeira hora de transmissão  a uma autocelebração por sua chegada, foi a Globo que fez jornalismo.

Quando a autoridade máxima da nação desdenha de todos os alertas dados por seu ministro da Saúde e mesmo da Organização Mundial da Saúde, é preciso mais que um microfone a ouvi-lo passivamente. É preciso um mínimo de contestação ao que ele diz. Ouvido pela CNN Brasil em link ao vivo diretamente da frente de sua residência, em Brasília, na noite deste domingo (15), Jair Bolsonaro atribuiu a “interesses econômicos” o que chama de “histeria” em relação às medidas restritivas adotadas em função da multiplicação do coronavírus, a começar pela necessidade de se evitar aglomerações.

Neste domingo (15), após usar horário nas redes de TV durante a semana para um pronunciamento em que pediu o cancelamento das manifestações a seu favor em função do coronavírus, Bolsonaro corroborou mais de 20 postagens no Twitter, incentivando o ato, como mostrou o “Fantástico”, da Globo, e saiu às ruas, apertando a mão de seus seguidores como se não tivesse participado de uma reunião onde pelo menos sete pessoas testaram positivo para o vírus.

O repórter da CNN, Leandro Magalhães, até tentou chamar a atenção para o fato, mas Bolsonaro, como se estivesse no papel contrário, disse que não teme o povo. É difícil contestar uma autoridade sem noção na sua primeira entrada ao vivo em um novo emprego, mas por que Reinaldo Gottino e Monalisa Perrone, no estúdio, não enfatizaram o fato de o mundo inteiro estar adotando medidas similares às do Brasil, o que derruba as teorias de conspiração do presidente?

Em vez disso, a dupla fez sutil menção a tanto, mencionou lá que houve aperto de mão com populares e passou longe de informar que Bolsonaro erra ao ver “histeria” nas medidas adotadas, desautoriza seu ministro da saúde e contraria ações mundiais com seus atos e declarações. Ao contrário do que se esperava sobre a desobediência de Bolsonaro, o site do canal resumiu a chamada da entrevista, poucos minutos depois, a uma frase em que ele se coloca como alguém mais próximo do povo do que Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, ao dizer que gostaria que eles fossem para a rua, como ele.

Leandro Magalhães ainda estava no assunto do dia, que envolveu manifestações e coronavírus, quando bruscamente interrompeu o tema quente para perguntar sobre a economia. Aparentou estar seguindo orientações pelo ponto eletrônico, e até encontrou uma resposta boa, pois foi então que o presidente atribuiu a “interesses econômicos” o que chama de “histeria”.

Ainda que em outro momento do noticiário o ministro da Saúde, Luiz Mandeta, tenha falado que ninguém, nem o presidente, deveria se envolver em aglomerações, a reação foi ínfima perto do descalabro do chefe.

Vai ser difícil acreditar em jornalismo isento, como prometeu a CNN Brasil, se a coisa continuar condescendente com alguém que nada contra a maré do bem coletivo.

Enquanto isso, na Globo, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, presidentes da Câmara Federal e do Senado, respectivamente, ambos citados por Bolsonaro na entrevista de poucos minutos antes na CNN Brasil, criticaram a presença do presidente nas manifestações. Maia pediu claramente que “o piloto do avião assuma sua cadeira” e conduza o país pelos rumos esperados. É certamente sua declaração mais contendente desde que vem sendo atiçado pela ala bolsonarista.

Como ambos eram parte da motivação dos manifestantes, que contestam as contrariedades do Senado e do Congresso aos projetos e desejos do presidente, era de se esperar que, em um dia como o de hoje, eles tivessem sido procurados para comentar a presença de Bolsonaro nas manifestações, desobedecendo a todas as orientações mundiais. Não foi o que se viu na CNN Brasil. Ambos deram entrevistas ao canal no meio da semana, àquela altura ainda não exibidas, sobre diversos assuntos, mas teriam de opinar sobre os fatos do dia no dia dos fatos, afinal.

A Globo procurou Alcolumbre, Maia e Bolsonaro, informando que o presidente não atendeu aos pedidos da emissora para ser ouvido.

O Fantástico mostrou que os cuidados com o coronavírus vão bem além dos interesses econômicos, contrastou de modo claro a inconveniência de Bolsonaro apertar quaisquer mãos neste momento, não por ele, vale repetir, que está sob suspeita de ter contraído o vírus, mas por seus interlocutores. E buscou informações extras sobre o assunto que vem afligindo o mundo.

Faltou jornalismo em uma jornada que ofereceu fartos elementos para tanto. Para um canal que vinha alimentando as expectativas do presidente de ser “diferente” da Globo, a quem ele trata como “inimiga”, sim, foi bem diferente, mas com larga desvantagem no “tocante” às críticas necessárias.

Em tempo: adoraria escrever que os dois canais concorreram brilhantemente pela melhor cobertura do dia, mas, infelizmente, isso não se consumou. Ainda tenho esperanças.

A CNN Brasil dispõe de um time de grandes profissionais, alguns deles brilhantes, e  não é simples enfrentar toda a estrutura que há 50 anos vem sendo maturada pela Globo, com seus tropeços, sim, mas com larga competência.

Da nova CNN Brasil, poderíamos citar aqui as ótimas entrevistas de William Waack aos poderosos de Brasília, os precisos comentários de Lourival Sant’Anna durante o debate entre Joe Biden e Bernie Sanders, transmitido ao vivo, o coloquialismo de Reinaldo Gottino, alguém que faz a gente se sentir em casa, e a contundente entrevista de Monalisa Perrone com Ricardo Teixeira.

Vejamos: se a Record News, canal que o atual chefão da CNN Brasil, Douglas Tavolaro, já comandou, como vice-presidente de Jornalismo da Record, fosse um décimo deste novo canal, estaríamos aqui soltando rojões pela Record News.

Mas como os parâmetros aqui são outros, com referências do jornalismo mundial, vamos trabalhar com um contexto que vem gerando altas expectativas.

Fonte: https://telepadi.folha.uol.com.br/globo-da-banho-na-cnn-brasil-no-tocante-desobediencia-presidente-bolsonaro/