Conexão Repórter: investigação jornalística conseguiu provar a inocência de um homem negro

Roberto Cabrini em uma longa investigação jornalística conseguiu provar a inocência de um homem negro. Seu nome é Antônio Carlos dos Santos. A acusação: participação em assassinato. Pena possível: de 12 a 30 anos.

Antônio Carlos dos Santos, conhecido por todos como Tonhão, e sua trajetória de martírio e redenção.

 

No “Conexão Repórter” do dia 27/01, Cabrini entrou na investigação do homem, funcionário de uma multinacional, músico e estudante universitário, foi parar na prisão acusado de estar envolvido em um assassinato. Roberto Cabrini revelou os detalhes de um caso que pode ter colocado um inocente atrás das grades. O jornalístico viaja a Taubaté e entrevista Antônio Carlos dos Santos Jr., conhecido como Tonhão, que se diz injustiçado, preso por um crime que alega não ter cometido.

 

Acusado de integrar uma quadrilha que fuzilou e assassinou uma jovem fisioterapeuta em 2014, Tonhão foi preso um mês depois sob alegação de que teria fornecido as armas para o crime. Tudo aconteceu na pequena Cruzeiro, vizinha a Taubaté, onde muitos afirmam que ele é inocente. Tonhão diz que estaria pagando o preço da cor de sua pele.

Multidões se mobilizam por ele e, do interior da prisão às ruas. Do outro lado, o delegado que investigou o caso diz estar convencido da culpa de Tonhão. Cabrini investiga os detalhes do caso e vai atrás de fatos que podem inocentar Tonhão.

O “Conexão Repórter” vai ao ar logo após mais uma edição do “Programa do Ratinho”, começando a partir das 23h30 (horário de Brasília), no SBT. Cabrini traz os detalhes, e falhas, de uma investigação que ignorou aspectos fundamentais, e resultou em uma absolvição incontestável.

Comércio despenca 16,8% e sofre pior queda em 20 anos com distanciamento social no Brasil

Pessoas andam rua de comércio em Guarulhos

Comércio despenca 16,8% e sofre pior queda em 20 anos com distanciamento social no Brasil

Segundo instituto, todas atividades sofreram quedas, até os setores considerados essenciais durante a pandemia

Leia mais em: https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/06/comercio-despenca-168-com-distanciamento-social-no-brasil-diz-ibge.shtml Continuar lendo Comércio despenca 16,8% e sofre pior queda em 20 anos com distanciamento social no Brasil

Itamaraty estende tapete vermelho para monarquistas e olavistas

O ministro de Relações Exteriores,  Ernesto Araújo, e o deputado Eduardo Bolsonaro durante audiência pública na Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados.   - Marcelo Camargo / Agência Brasil

Itamaraty estende tapete vermelho para monarquistas e olavistas

Nesta terça-feira, o Itamaraty promove uma palestra de Bertrand de Orleans e Bragança. No material de promoção do evento, porém, o convidado é apresentado como “S. A. I. R.”. Ou seja, “Sua Alteza Imperial Real”, um título que desapareceu no país com a chegada da República, há mais de cem anos. A palestra com o descendente da família real é mais um encontro numa série promovida pela Fundação Alexandre de Gusmão (Funag) – órgão ligado à chancelaria – para avaliar o mundo “pós-pandemia”..

Juristas aprovam prisão de Sara Winter e questionam influência de Bolsonaro

Miguel Reale Júnior é ex-ministro de FHC e foi um dos autores do pedido de impeachment de Dilma - André Dusek/Estadão Conteúdo

Juristas aprovam prisão de Sara Winter e questionam influência de Bolsonaro

Os juristas Miguel Reale Júnior e Lenio Streck concordaram hoje ao analisar a prisão temporária da ativista Sara Winter, realizada pela Policia Federal em Brasília. Reale Júnior, que foi um dos autores do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, disse que ficou “chocado” com o protesto que lançou fogos de artifício em direção ao STF(Supremo Tribunal Federal), realizado pelo grupo liderado por Sara. “Os fatos de ontem (na realidade foram anteontem) são extremamente graves, fiquei chocado com o que aconteceu, o ataque à suprema corte, um bombardeio de fogos de artifício mais simbólico do que ataque físico, uma voz chamando os ministros de comunistas, de um ridículo absurdo”

Aliados de Bolsonaro são alvos de operação da PF contra atos antidemocracia

Faixa com dizeres contra o STF e o Congresso é exibida em protesto a favor de Bolsonaro, em Brasília - Evaristo Sá/AFP - 31.mai.2020

Aliados de Bolsonaro são alvos de operação da PF contra atos antidemocracia

A Polícia Federal cumpre na manhã de hoje 21 mandados de busca e apreensão em desfavor de aliados do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Entre os alvos estão dirigentes da sigla que o mandatário tenta fundar, o Aliança pelo Brasil, um deputado federal e blogueiros e youtubers de direita.
As ordens são do STF (Supremo Tribunal Federal) e foram autorizadas no âmbito de um inquérito chefiado pelo ministro Alexandre de Moraes. O procedimento investiga a origem de recursos e a estrutura de financiamento de grupos suspeitos de promoverem manifestações de rua com pautas antidemocráticas..