Lívia desabafa sobre afastamento do SBT: ‘Nunca fui protegida do Silvio’

Reprodução/Instagram

Lívia desabafa sobre afastamento do SBT: ‘Nunca fui protegida do Silvio’

Lívia Andrade e os telespectadores já perderam as contas de quantas vezes foram promovidas mudanças no “Fofocalizando”. A apresentadora segue na geladeira desde que o programa foi arrancado da grade do SBT, sendo substituído pelo “Triturando” — uma versão repaginada do formato e com novos apresentadores.
Ela chegou a gravar uma chamada às pressas ao ser informada sobre o retorno da atração pautada pelo universo dos famosos, mas tudo, mais uma vez, mudou de última hora. A apresentadora comemorava o aniversário em Bom Jardim da Serra (SC) quando foi avisada sobre o retorno do programa.

Entenda como será a retomada das aulas presenciais no estado de São Paulo

Estudante da rede estadual de São Paulo realiza prova em foto de 2018 — Foto: Divulgação/Governo de SP

Entenda como será a retomada das aulas presenciais no estado de São Paulo

Retomada começará a partir do dia 8 de setembro para toda rede de ensino; saiba quais são os critérios.

Continuar lendo Entenda como será a retomada das aulas presenciais no estado de São Paulo

Silas Rondeau é alvo da Lava Jato em operação contra fraudes na Eletronuclear

Ex-ministro Silas Rondeau em foto de 2007 em Brasília — Foto: Rafael Carvalho/Governo do Tocantins

Silas Rondeau é alvo da Lava Jato em operação contra fraudes na Eletronuclear

Força-tarefa pediu também o sequestro de R$ 207 milhões em bens dos envolvidos e de suas empresas, por danos materiais e morais.

A força-tarefa da Lava Jato iniciou nesta quinta-feira (25) a Operação Fiat Lux, contra fraudes na Eletronuclear, com pagamentos no exterior.

Silas Rondeau, ministro das Minas e Energia entre 2005 e 2007 (no segundo governo Lula), é um dos procurados. Equipes estiveram em endereços em Ipanema, na Zona Sul do Rio, e em Brasília, mas não o encontraram até a última atualização desta reportagem.

O ex-deputado federal Anibal Ferreira Gomes (DEM-CE) também tem um mandado de prisão contra si. No início do mês, a 2ª Turma do STF condenou Aníbal por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O parlamentar foi acusado de receber R$ 3 milhões em propina junto com o engenheiro Luiz Carlos Batista Sá, que é outro alvo da operação desta quinta-feira.

Até a última atualização desta reportagem, dois homens haviam sido levados para a Superintendência da Polícia Federal (PF), na Praça Mauá.

O juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do RJ, expediu, ao todo, 17 mandados de busca e apreensão e 12 de prisão temporária nos estados do Rio de Janeiro (capital, Niterói e Petrópolis), São Paulo e no Distrito Federal.

A Lava Jato pediu também o sequestro dos bens dos envolvidos e de suas empresas pelos danos materiais e morais causados no valor de R$ 207 milhões.

Ex-ministro Silas Rondeau em foto de 2007 em Brasília — Foto: Rafael Carvalho/Governo do Tocantins

Delação de lobistas

O esquema investigado é mais uma etapa contra responsáveis por contratos fraudulentos e pagamento de propina na Eletronuclear, que não foram abrangidos pelas operações Radioatividade, Irmandade, Prypiat e Descontaminação.

A investigação teve como base a colaboração premiada dos lobistas Jorge Luz e o filho, Bruno, ligados ao PMDB. Os Luz foram presos em Miami em 2017, por ordem da 13ª Vara Federal de Curitiba/PR.

A delação de Jorge e Bruno — homologada pelo pelo ministro Edson Fachin, do STF — apontou o pagamento de vantagens indevidas em pelo menos seis contratos firmados pela Eletronuclear.

Os recursos eram desviados por meio de subcontratação fictícia de empresas de serviços e offshores, que por sua vez distribuíam os valores entre os investigados.

Othon Luiz participou, em 2011, de audiência no Senado para discutir o sistema de energia nuclear do país  — Foto: Antonio Cruz/ABr

Othon Luiz participou, em 2011, de audiência no Senado para discutir o sistema de energia nuclear do país — Foto: Antonio Cruz/ABr

Segundo o MPF, a exigência de propina teve início logo após Othon Pinheiro chegar à presidência da estatal.

A vantagem indevida seria uma contrapartida à celebração de novos contratos e ao pagamento de valores em aberto de contratos que se encontravam em vigor.

Parte do esquema operou com empresas sediadas no Canadá, França e Dinamarca — por isso, o MPF solicitou a cooperação internacional e vai compartilhar o material da investigação com o Ministério Público destes países.

Temer é réu

Em abril de 2019, Bretas aceitou duas denúncias feitas pelo Ministério Público Federal e tornou réus o ex-presidente Michel Temer, o ex-ministro e ex-governador do Rio Moreira Franco e outros 12 investigados.

Temer e Moreira chegaram a ser presos em março do ano passado, mas foram soltos dias depois.

Foto tirada em 2010, pouco antes do início da retomada das obras de Angra 3 — Foto: Divulgação

Foto tirada em 2010, pouco antes do início da retomada das obras de Angra 3 — Foto: Divulgação

O desmembramento da denúncia oferecida a partir da Operação Radioatividade trouxe parte das investigações da Lava Jato para o Rio de Janeiro.

Nesta etapa, segundo o MPF, foi constatado o envolvimento de, pelo menos, duas grandes empreiteiras, a Andrade Gutierrez e a Engevix, em prática ilícitas, em virtude da execução de contratos e aditivos celebrados com a Eletronuclear para a construção da usina de Angra 3.

A Operação Prypiat, já deflagrada pela força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro, aprofundou as investigações, debruçando-se sobre os contratos com a Flexsystem Engenharia, Flexsystem Sistemas e VW Refrigeração.

Já a Operação Irmandade dedicou-se ao núcleo financeiro-operacional do esquema. A partir da colaboração de executivos da Andrade Gutierrez, foi demonstrada a forma de geração do caixa 2 da empresa para realização dos pagamentos de propina em espécie para funcionários da Eletronuclear.

Este esquema de lavagem de dinheiro era similar ao investigado pela Operação Fiat Lux e sustentava-se na celebração de contratos fictícios e expedição de notas fiscais falsas com várias empresas.

Fonte: G1 

 

Ministro anuncia valores de novas parcelas do auxílio emergencial, mas depois apaga postagem


Governo discute a prorrogação do auxílio emergencial

Governo discute a prorrogação do auxílio emergencial

Ministro anuncia valores de novas parcelas do auxílio emergencial, mas depois apaga postagem

Continuar lendo Ministro anuncia valores de novas parcelas do auxílio emergencial, mas depois apaga postagem

Planalto busca blindagem a Flávio no Congresso e avalia Wassef pior do que Queiroz

Wassef, dono do imóvel em que foi preso Queiroz, nega tê-lo escondido — Foto: JN

Planalto busca blindagem a Flávio no Congresso e avalia Wassef pior do que Queiroz

 

Planalto classifica o advogado como ‘imprevisível e incontrolável’ e avalia que ele possui informações sobre o atual mandato do presidente quando, de fato, ganhou a confiança de Bolsonaro.

Oficialmente, assessores do presidente Jair Bolsonaro passaram os últimos dias repetindo que Fabrício Queiroz e Frederick Wassef “complicaram”a vida de Flávio Bolsonaro, que nada sabia sobre o paradeiro do ex-assessor.

Flávio, inclusive, adotou a estratégia de repetir também a quem lhe perguntasse que não poderia imaginar essa situação e que está vivendo um turbilhão.

O Palácio do Planalto, do ponto de vista da sobrevivência política de Flávio, respira aliviado, por ora: avalia que, se o escândalo estivesse no colo de Eduardo ou Carlos Bolsonaro, dificilmente conseguiriam salvar o mandato de um dos filhos “non gratos” do presidente, nas palavras de um interlocutor de Bolsonaro.

Continuar lendo Planalto busca blindagem a Flávio no Congresso e avalia Wassef pior do que Queiroz

SinproSP entra com ação contra Uninove por demissão de professores

Campus da Uninove em São Paulo - Uninove

Universidade alega que diante da pandemia teve de se readequar

O Sindicato dos Professores de São Paulo (SinproSP) protocolou ontem (23), no Tribunal Regional do Trabalho, um dissídio coletivo solicitando a anulação, em caráter liminar, de demissões de professores na Universidade Nove de Julho (Uninove), que mantém unidades na capital paulista e na região metropolitana de São Paulo. Os advogados do sindicato pedem também a mediação do TRT para buscar uma solução para o problema.

De acordo com a diretora do SinproSP, os professores receberam o aviso de que estavam sendo dispensados no dia 22 de junho, pela manhã, quando acessaram a plataforma da universidade para dar aula. Assim que o aviso apareceu, a plataforma foi fechada e os professores não tiveram mais acesso. Segundo o sindicato, ao menos 120 docentes receberam os avisos, mas a entidade estima que o número total de demitidos pode chegar a 300.

Leia também

Uninove transmite live motivacional com Padre Fábio de Melo em meio a demissões

Procurada Uninove não quis se manifestar e deixa alunos revoltados, puro descaso diz aluna

Revolta online UNINOVE demite mais de 300 professores sem aviso prévio e via pop-up

“Entramos em contato com a Uninove pedindo explicações e o número exato de demissões, mas não tivemos resposta. Entendemos que é uma demissão em massa, em meio a uma pandemia, o que agrava ainda mais a situação. Pedimos a mediação do TRT já que a Uninove se recusa a dar informação”, disse.

Segundo ela, a Universidade não deu nenhuma justificativa. Os dispensados receberam uma ordem para entregar o crachá de acesso, em 48 horas, e também a carteirinha do plano de saúde, o que, segundo Sílvia Bárbara, é ilegal, pois a entidade deve manter esse benefício por 30 dias. O sindicato agora aguarda a decisão da Justiça e está fazendo um levantamento por conta própria para saber o número exato de demitidos.

“O que dá para ver em um primeiro momento é que a demissão é generalizada e não está concentrada em um único curso. Tem demissão em todas as faculdades e tem tanto professores com quatro meses de casa, como professores com 21 anos na universidade” afirmou Sílvia Bárbara.

Por meio de nota, a Uninove disse que preza como bem maior o ensino de milhares de alunos e a qualidade dos serviços oferecidos há mais de 50 anos e que diante da pandemia que atingiu o mundo, teve que se adaptar à nova situação e foi ao limite para manter o quadro funcional e todas as obrigações contratuais em dia.

“Salários dos professores foram garantidos pontualmente e vultosos investimentos em tecnologia realizados. As mensalidades estão sendo renegociadas, tendo em vista a perda do poder aquisitivo de nossos alunos e seus familiares. Todas as medidas de readequação foram necessárias para preservar o sonho dos futuros profissionais que aqui se formarão”.

Fonte: Agência Brasil

Continuar lendo SinproSP entra com ação contra Uninove por demissão de professores

Mauro Naves vence “susto” e se lança como professor de jornalismo esportivo

Mauro Naves gravou parte das aulas em camarote do estádio do Morumbi, em São Paulo - Divulgação/Curseria

Mauro Naves vence “susto” e se lança como professor de jornalismo esportivo

Em abril, durante longa entrevista publicada pelo UOL Esporte, o jornalista Mauro Naves contou que tinha planos fora do convencional para a sequência da carreira. Um deles acaba de virar realidade: conhecido ex-repórter da Globo, hoje comentarista do Fox Sports, ele agora é professor de um curso de jornalismo esportivo que está em fase de pré-lançamento. As aulas são 100% online em uma plataforma chamada “Curseria”, que também tem como professores nomes famosos como Pedro Bial, Henrique Fogaça, Bela Gil e Kyra Gracie, entre outros. De acordo com o site da empresa, o conteúdo é destinado a “quem deseja aprimorar os conhecimentos no jornalismo esportivo, bem como para aqueles que .